Sobre

Em 2009 nasce, em Portugal, um projeto inovador na área da fruticultura proveniente de catos: O Figo da Índia, com a marca registada CACTACEA.

Introduzida por nós no mercado, a fruta em fresco, algumas variantes provenientes de Itália, Secília.

Usada também na transformação em licores e compotas, o excedente da fruta.

As flores do Figo da Índia são utilizadas como chá.

2011 contribuímos para a formação da 1ª Associação Portuguesa Produtores de Figo da Índia APROFIP.

Desde novembro 2012, dinamizamos workshops partilhando saberes teóricos e práticos e divulgando este cultivo a nível nacional.

Em 2013 introduzimos o cultivo da Pitaya com plantas provenientes dos EUA .

Em 2014, obtivemos a certificação de agricultura biológica e a certificação de viveirista (produtor e fornecedor de matéria verde para novas produções).

Em 2015 , realizamos as primeiras degustações da Pitaya e aumento da área cultivada desta fruteira.

Em 2016 importamos novas variedades de Figo da Índia do México, o qual denominamos de “Melancia” e “Laranjina”. Iniciámos comercialização da Pitaya.

Fomos mentores na angariação/recolha de Figo da índia a nível nacional para exportação e colaboramos com uma empresa neste projeto.

Novembro 2017 participamos, a convite, no primeiro congresso Internacional sobre a Figueira da índia “Tuna, Nopal & Maguey” em San Luis Potosi, no México por intermédio da APROFIP.

Janeiro 2018, participamos no projeto “Invoção e Empreendedorismo” onde apresentamos o nosso projeto em Londres, Inglaterra.

Primavera de 2018 demos início ao nosso 3º Projeto ATLANTIS CACTUS PARK. Este visa dinamizar a quinta, abrindo-a ao turismo com visitas guiadas, realização de eventos, tais como, oficinas temáticas, degustações e lazer.

Previsão de abertura Maio 2019.




Clients